Favoritos de 2016

Oi, sumidos! Hahahahaha

A sumida aqui sou eu, eu sei… ser adulta não é fácil, consome um tempo, mas acho esse post o mais legal do ano todo, pois falo pra vocês o que eu gostei e, não sei vocês, mas eu só compro as coisas depois de ler 35 resenhas e 147 comentários. Haha

Espero que todos tenham tido um ano muito produtivo e que suas comemorações de ano novo tenham sido maravilhosas!

Vamos pro que interessa?

Cabelos:

Pra lavar: Shampoo e condicionador Jhonson’s baby (entrei na onda do low poo e está fazendo milagres pelo meu cabelo!).

Pra finalizar: Creme para pentear apertem os cintos, a ponta dupla sumiu e óleo de argan, ambos da Lola.

Para tratar: mais uma vez o creme de tratamento Elseve Arginina Resist x3 para restituição de massa.

Penteado: Acho que o que mais usei foi cabelos livres, leves e soltos mesmo

Rosto:

Pra lavar: sabonete desincrustante em barra da linha effaclar da La Roche Posay, que me ajudou a melhorar muito o aspecto da minha pele (cravinhos? Que isso?)

Pra proteger: Anthelios da La Roche Posay FPS 30

Pra hidratar noite e dia: BEPANTOOOOL spray!! Pra que mais? Melhor pessoa… digo, inclusive, que o Bepantol para os labios é o único produto que presta para reconstruir lábios maltratados por batons matte (como os meus, por exemplo).

Maquiagem:

Primer: Blur da Toque de natureza (que não me deu, assim, aquele photoshop na cara, mas deu uma melhorada digna nos poros mais que abertos que nunca me abandonam).

Base: MAC waterweight FPS 30 cor NC25. Durou quase um ano e eu amei cada segundo dela! Efeito natural, iluminado, cara de quem gasta horrores no dermatologista!

Corretivo: Tracta matte cor médio (digníssimo!)

Pó: Vult HD translúcido na cor 01

Bronzer: Pó compacto da Vult na cor 09… é um dupe e eu vou contar mais num outro post!

Blush: Dailus pró na cor nude

Sobrancelhas: Lápis da Payot (super BBB) e gel de fixação incolor da Koloss (o melhor que eu já usei)

Paleta: continuo com a minha Catharine hill 1017

Delineador: Master precise da Maybelline

Máscara de cílios: ainda não encontrei melhor custo x benefício que o Colossal volume da Maybelline NY

Lápis: Vult total black à prova d’água

Iluminador: Não desapego nunca do meu Mary Lou-manizer da The Balm

Batom: Foi uma novidade, ganhei em novembro e me apaixonei pela cor, textura e tudo o mais… é o batom Nathalia da linha da Bruna Tavares para a Tracta… maravilhoso e baratex!

Esse ano eu pintei a unha, tipo, 3 vezes… vou pular os favoritos de unha porque eu realmente não testei muita coisa.

Aleatórios:

Livro: Como eu era antes de você – Jojo Moyes

Filme: Como eu era antes de você

Musica: Into you – Ariana Grande

Clipe: Starboy – The Weeknd

Album: Joanne – Lady Gaga

 

Beijinhos e um 2017 cheio de coisas boas a todos! ❤

Anúncios
Favoritos de 2016

Cachos, low poo e no poo

Olá, pessoal!

Tudo bem?

Hoje eu to muito empolgada porque trouxe a primeira colaboração no Beauty by Glau! Uhuu!!

O momento é das cacheadas, né gente? Então, nada mais justo do que eu trazer alguém que mantém cachinhos lindos e muito bem cuidados pra dar dicas pra nós do que usar nos cabelos!

Hoje o post é da minha prima linda, a Eliza!

Bora ler?

  
“Quando nasce uma criança com o cabelo crespo ou cacheado, a maioria das famílias não sabe lidar, chama de “cabelo ruim”, traumatizando a criatura logo na infância. E isso é bem tenso porque pode trazer diversos problemas de autoestima. Bom, aí ela cresce achando que a única “solução” viável é o alisamento, relaxamento, progressiva etc. e enquanto não tem idade para isso, vive à base de chapinha, ou com o cabelo molhado, ou ensebado de tanto creme, ou até mesmo preso. Sei que muitas cacheadas e crespas se identificam com isso e têm histórias parecidas.

Mas essa tradição vem mudando. Hoje há uma grande corrente de crespas e cacheadas blogueiras e youtubers que exibem sua linda cabeleira e fazem o maravilhoso trabalho de ensinar os segredos, dar dicas, indicarem produtos e técnicas para cuidarmos dos nossos cabelos e aprendermos como eles podem ser lindos naturalmente, ficando o alisamento uma opção e não a única solução, até porque, nenhum cabelo é problema. O problema é você não saber lidar com a personalidade difícil dele e alisar por não ver uma luz no fim do túnel.

Bem, a primeira coisa que precisamos ter em mente é que falar de cabelo não é simplesmente falar de cabelo. É falar de identidade, aceitação, autoestima, saúde, amor e beleza, que não está no fim da lista por acaso, pois é preciso passar por todas as outras etapas antes de alcançar a verdadeira beleza.

Falar de cabelo é falar de saúde porque ele se “alimenta”, através dos vasos sanguíneos, absorvendo grande parte dos nutrientes que ingerimos, por isso, ele funciona como um termômetro do nosso corpo. Se alguma parte dele está afetada por alguma doença, mais nutrientes vão para ela e menos para o cabelo. Ou, se sua alimentação está ruim, ele também “avisa” ficando enfraquecido, e, portanto, perdendo brilho e beleza. Logo, dificilmente você terá um cabelo bonito se não comer aquelas coisas que sua mãe te obrigava a comer quando era criança, fazendo as mais variadas chantagens.

Além dessa nutrição, existe uma proteção natural, de um óleo formado na nossa glândula sebácea, que age diretamente na cutícula, parte mais externa do fio. Esse processo mantém a água (hidratação) dentro do fio – porque óleo repele a água – e protege o fio de agressões externas. E é aí que os cabelos cacheados e crespos sofrem mais: o óleo natural tem que percorrer um caminho com muitas curvas e ondas, o que faz com que ele acabe antes de completar o caminho. E é por isso que, falou de tratamento para crespos e cacheados, o principal ingrediente é óleo. E que seja puramente vegetal. Pode ser adicionado a máscaras e cremes ou utilizado puro. Besuntar o cabelo e o couro cabeludo com óleo vegetal não vai fazer com que ele fique oleoso, vai hidratar, amaciar, dar brilho e trazer diversos benefícios que variam conforme o óleo escolhido. Isso se chama umectação e essa técnica é conhecida como nutrição, mas já vimos que a nutrição do cabelo se dá de dentro pra fora, pela alimentação.

E é por esse “ressecamento natural”, que os cabelos crespos e cacheados requerem mais cuidado, o que, às vezes, demanda um pouco mais de tempo. Pois não é só passar o shampoo e o condicionador a semana inteira pra ele ficar lindo e sedoso. É preciso muito carinho, cuidado, amor e muita hidratação… mas muita mesmo. E além disso, evitar ao máximo o ressecamento. Tá, mas como? Calma, vou explicar: grande parte do ressecamento dos nossos cabelos é causado por maus cuidados, como: calor excessivo (secador, chapinha, água quente – sim, eles preferem água fria), excesso de shampoo, shampoo anti-resíduo, ou até mesmo escolha errada dos produtos. Então, é preciso evitar os agentes ressecadores.

Muitas cacheadas e até lisas estão entrando na onda low poo e no poo, técnicas aprimoradas pela cabeleireira inglesa Lorraine Massey, especialmente para cacheadas e crespas, mas que em nada impede as lisas e onduladas de utilizarem também. Afinal, as técnicas retiram da rotina capilar a utilização de substâncias que prejudicam a saúde dos fios, tratando-os da forma menos agressiva possível.

Low poo (pouco shampoo) consiste na utilização apenas de shampoo sem sulfatos e em quantidade mínima, mas com limpeza eficiente, para isso, precisa ser retirada da fórmula dos produtos, o que só o sulfato é capaz de limpar, que são os derivados de petróleo, óleos minerais (parafina líquida) e vaselina. E o no poo (sem shampoo) consiste na abolição do uso do shampoo na rotina capilar, e, para tanto, é preciso abolir também, além dos componentes proibidos para low poo, os silicones insolúveis em água. A limpeza dos cabelos, no caso do no poo, é feita através de co-wash (lavagem com condicionador), higienizadores próprios ou até mesmo bicarbonato de sódio diluído em água. E a reação da maioria das pessoas quando você fala que não lava os cabelos com shampoo, é pensar que seu cabelo é sujo. Só que não. Afinal, você não usa nenhuma porcaria que necessita de shampoo pra sair dos fios.

Bem, já falamos de nutrição e hidratação. Agora vamos para outra etapa do CC (cronograma capilar), a reconstrução. Nosso cabelo é composto por uma proteína chamada queratina (85%), água (12%) e lipídios (3%). E é por isso que, a maioria dos produtos ditos para “reconstrução capilar” contém queratina. Utilizar máscaras e cremes com esse componente, ou a própria queratina líquida pura, vão ajudar a repor massa capilar perdida com ações químicas. Mas cuidado! Muita queratina pode acabar enrijecendo demais os fios e fazendo eles quebrarem com mais facilidade.

Uma importante etapa para os cuidados com os cachos é a finalização. E para esta, existem inúmeras técnicas utilizando creme de pentear, leave-in, óleo, gel, mousse ou associação de dois ou mais desses, fazendo fitagem, plopping ou simplesmente passando os produtos de qualquer jeito, vai de você testar e encontrar o que funciona no seu cabelo. Após a finalização, existem alguns cuidados extras a se tomar com os cachos, que ajudam a mantê-los no day after:

§ Dormir em fronha de cetim – pois é um tecido liso, que não causa o atrito que forma o frizz e também não absorve como o algodão, mantendo a hidratação nos cabelos e conservando bem os cachos até você acordar.

§ Ulilizar tecido de algodão (como uma camiseta velha) para secar os cabelos em vez da toalha de banho, pelo mesmo motivo do atrito.

§ Evitar o uso de secador e, quando utilizar, que seja na temperatura mais baixa.

§ Lavar os cabelos na água fria, ou de cabeça para baixo, de forma que a água mais quente caia na parte traseira do cabelo, que fica escondida na nuca.
Dica extra: na cozinha da sua casa existem muitos ingredientes que podem trabalhar a favor da sua beleza, e não apenas comendo, mas compondo máscara de hidratação e umectação. Exemplo: azeite de oliva, amido de milho, achocolatado, cerveja, gelatina incolor, cenoura, creme de leite, leite de coco, maionese, linhaça, abacate, banana, ovo, açúcar, mel, limão, vinagre de maçã, entre outros. Há muitas receitas com cada ingrediente desses. Se joga na despensa, gata!

A grande questão por trás disso tudo é você aprender a conviver com seu cabelo da forma que ele nasceu, entender o que ele precisa e mantê-lo saudável, o que não significa ser obrigado a deixá-lo natural, e sim estar livre dos padrões sociais para usá-lo da forma que te faz feliz.”

Mara, né? Eu uso progressiva há 10 anos e nem me lembro mais como era meu cabelo antes! Hahaha

Mas as dicas são muito bacanas pra quem alisa também! Eu tenho feito low poo usando shampoo e condicionador Jhonson’s baby e meu cabelo nunca esteve tão macio e bonito! Até meu marido reparou que a queda de cabelo diminuiu muito!

Bora lá cuidar da cabeleira, meninas?

Beijinhos! 😘

Cachos, low poo e no poo